Um Plano de Ação pós-Evento

Melhorar e adaptar estas etapas de ação de acordo com as necessidades da sua comunidade enquanto se adapta ao fluxo do que é exigido a cada momento, à medida que a realidade evolui. Esteja consciente de que uma presença calmo, amorosa e flexível será um importante atributo e necessidade para uma implementação bem-sucedida do Plano e um grande benefício para atender às necessidades dos membros da comunidade.

Imediatamente após o início do Evento (0-3 horas após)

  • Contatar os membros dos Grupos de Suporte ao Evento (GSE) para iniciarem a difusão do Resumo aos Líderes Comunitários (RLC).
  • Procurar ao seu redor por amigos, família, vizinhos, colegas de trabalho e conhecidos que possam estar dispostos a ajudar.
  • Se for de noite, entregar o RLC e explicar a situação aos chefes de polícia e bombeiros locais, e pedir-lhes para chamarem imediatamente as equipes que não estejam de plantão, assim como os membros da Prefeitura e Assembleia Legislativa.
  • Estabelecer contato com os vários níveis de mídia, convencionais ou alternativos, locais, nacionais ou internacionais para iniciarem o Plano de Ação para o Evento.

Dia 1

  • Assim que possível e para aqueles que se sentirem focados e capazes, por favor, partilhe as diretrizes gerais com a mídia como ressaltado em negrito no link “Plano de Ação para o Evento” acima.
  • Entregar o RILC, em primeiro lugar, ao Prefeito, Assembleia Legislativa, Polícia e Bombeiros. Posteriormente, fazer o acompanhamento com aqueles considerados mais responsáveis por informar a população, direcionar recursos da comunidade para a manutenção da estabilidade de forma continuada dos bens essenciais através da cadeia de distribuição, e também manter áreas públicas seguras para a população se reunir.
  • Utilizar membros dos GSE experientes e equilibrados para fornecer detalhes adicionais verbalmente como um grupo, aos líderes da comunidade (Prefeito/Policia/Bombeiros).
  • Se os líderes da comunidade não puderem ser contatados prontamente, considerar a abordagem de outros que provavelmente tenham acesso a eles, como um vereador ou uma pessoa de 2º comando na Polícia ou Bombeiros.
  • Contatar imediatamente quaisquer contatos, amigos, amigos de amigos, etc., que possam fornecer pistas sobre como alcançar os políticos e pessoas influentes.
  • Entregar cópias do RLC ao gestor das concessionárias de serviços públicos, supermercados, hospitais, escolas e empresas locais.
  • Em cooperação com as autoridades locais, associações de comércio (utilizando um e-mail em massa do RLC para empresas também), mídia e membros dos GSE, informar tantos residentes quanto possível sobre o Evento.
  • Determinar a partilha de informações e verificar a possibilidade de utilização de endereços públicos para reunir a comunidade, tais como auditórios de escolas, salas de música/teatro, cinemas, complexos desportivos, centros de conferência em hotéis, entre outros.
  • Se necessário, determinar sistemas de locais públicos centrais para partilha de informações.
  • Pedir a todos os residentes informados para espalhar as informações através dos amigos, família, colegas de trabalho e contatos na mídia por todos e quaisquer meios disponíveis.

Durante a noite (dia 1)

  • Finalizar o conteúdo do anúncio público e determina quais autoridades da comunidade local irão partilhar as atualizações aos residentes.
  • Organizar planos para grupos de voluntários necessários.
  • Selecionar pessoas para realizar a interface com contatos militares para qualquer potencial necessidade de reabastecimento de alimentos, água e itens básicos, assim como para a obtenção de atualizações de informação.

Dia 2

  • Se não iniciado no dia 1, iniciar anúncios públicos em locais designados, e se possível, por meio da TV e rádio locais utilizando o Plano de Ação de Mídia, o RLC, e quaisquer atualizações situacionais disponíveis.
  • Anunciar locais de encontro para discussões e refeições comunitárias.
  • Em conjunto com as autoridades locais determinar as necessidades de curto, médio e longo prazo.
  • Contatar e solicitar assistência de todas as equipes de emergências locais conhecidas, assim como grupos como ativistas ambientais, políticos e sociais.
  • Declarar publicamente a necessidade imediata de vários voluntários nos comitês, e começar a registrar os novos membros, e prestar a necessária orientação, educação e apoio.

Sugestão de grupos de comitês voluntários para formação:

  • Abastecimento de água e alimentos, assim como métodos de fornecimento e produção alternativos (ex. fonte de água local)
  • Habitação alternativa e abrigos (por exemplo igrejas, escolas, casas vazias ou armazéns) para os sem-teto.
  • Pontos de encontro para reuniões e refeições comunitárias.
  • Banco de alimentos, varejistas de alimentos e serviços de entrega comunitários.
  • Subsídios básicos para momentos críticos, manutenção da linha de fornecimento ou criação de novas alternativas.
  • Reuniões para troca de bens essenciais.
  • Manter equipes em locais de serviços críticos, hospitais, supermercados.
  • Coordenação e mobilização de todos voluntários já existentes, associações de caridade e grupos de ativistas.
  • Equipes de resolução de conflitos e de emergências.
  • Grupos de cidadãos para auxiliar a polícia local na manutenção da ordem.
  • Traumas emocionais, centros de aconselhamento para crise, centros de terapias energética e corporais.
  • Grupos de estudantes itinerantes polivalentes/capacitados.
  • Utilização das Mídias Sociais para planos de educação e de assistência para localidades próximas.
  • Apoio aos idosos, às pessoas com deficiência e aos sem-teto.
  • Eventos de redução de stress, eventos artísticos (música/teatro/dança) na comunidade, dinamização da inspiração moral.
  • Sabedoria e orientação espiritual.
  • Grupos de reflexão para planejamento atual e futuro dos projetos necessários.

Dia 3 e após

  • Anunciar acesso a locais escolhidos e/ou números de telefone dos centros de trauma e atualizações de informação.
  • Ser criativo em inspirar empresas locais a permanecerem abertas.
  • Reportar e limitar a especulação nos preços e a acumulação de bens essenciais.
  • Solicitar que as empresas locais aceitem cheques, ouro e prata, e formas alternativas de pagamento.
  • Verificar se a Câmara de Comércio local ou subprefeitura podem estabelecer moedas de crédito com as empresas locais.
  • Anunciar reuniões da troca de bens necessários.
  • Convidar quaisquer pessoas já preparadas para o Evento para se voluntariar a partilhar mantimentos extra e ajudar a educar os outros.
  • Incentivar os moradores a partilhar o que tenham com todos.

Em conclusão, quanto maior for o nível de preparação que possamos trazer para o Evento, seguido de uma atuação de forma correta e coordenada, mais rapidamente informações e orientações úteis poderão ser partilhadas com os membros da comunidade. Isto levará a uma elevada ordem, compreensão, civilidade e cooperação, cruciais para a paz de espírito e bem-estar ideais para nossos irmãos e irmãs.

 

Este texto é baseado no Plano para manter a segurança durante o Evento por Nova Biscotti (newagebiscuit@gmail.com) e nas directrizes para os Grupos de SUporte ao Evento (GSE).

Compilado por David Gane: humilitynow@yahoo.ca

Ações-pós-Evento-PT-BR-1.pdf (50 downloads)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: